Discurso do Aniversário do Concelho

Publié le par Secção PS - Bombarral

                                                               

                                            

  Ex.ma Sr.ª Presidente da Assembleia Municipal

                                                       Sr. Presidente de Câmara
                                                       Sr.s Vereadores
                                                       Sr.s Deputados Municipais
                                                       Sr.s Convidados
                                                      A todos Bombarralenses
 

É com imenso agrado que os deputados municipais do PS da Assembleia Municipal do Bombarral celebram, nesta singela cerimónia, o aniversário do nosso concelho na vossa presença, desejando-vos as maiores felicidades.

Neste dia 29 de Junho de 2007, o concelho celebra o nonagésimo terceiro aniversário. Com efeito, foi a 29 de Junho de 1914 que tomou posse a Primeira Câmara do Bombarral.

Ao longo destes 93 anos muito se fez em prol do Bombarral e da sua população, contudo, há que assumir com frontalidade que muito mais ficou por fazer.

Efectuando uma breve retrospectiva, para não alongar esta intervenção, o Bombarral continua carente de desenvolvimento económico, industrial, comercial e são manifestamente escassos os equipamentos sociais e de lazer. 

É generalizada a consciência de que a actividade económica é reduzida, que a indústria é de pequena dimensão e não geradora de postos de trabalho para a nossa juventude, daí que esta seja compelida a abandonar o Bombarral. 

No tocante ao comércio basta ouvir os lamentos dos nossos comerciantes ou observar o estado da rua do comércio para inegavelmente ver que algo vai mal neste sector.

O novo quartel dos Bombeiros Voluntários está prometido há longos anos e só agora, pecando por muito tarde, é que a Câmara consegue desbloquear o terreno e prometer a escritura de doação do mesmo aos bombeiros e, já agora, não se diga que a responsabilidade no atraso deste projecto é do Poder Central para encapotar a inércia do Poder Local. 

A potencialidade da mata municipal não está a ser utilizada.

O parque de campismo do Picoto está abandonado, nesta actividade, foi recentemente realizado um encontro de caravanismo no Santuário do Senhor Jesus do Carvalhal, pois o concelho do Bombarral é um dos poucos que não tem Parque de Campismo. 

O Teatro Eduardo Brazão está em estado de degradação, apesar de recentemente se ter efectuado avultado investimento na recuperação do edifício.

Também na agricultura, em particular no sector do vinho e da Pêra Rocha, tradicionais no Bombarral, se assiste com alguma passividade por parte do executivo, que os concelhos vizinhos assumam o domínio destes sectores. Obviamente que continua a ser organizado o Festival do vinho e a Feira da Pêra Rocha no Bombarral, todavia estes eventos não são realizados com a dinâmica desejável e necessária.

Importa ainda referir as péssimas condições de funcionamento da linha do Oeste e o Poder Local não deve permanecer alheio a esta situação, tem o dever e a obrigação de pressionar, de exigir que a CP melhore substancialmente o serviço, pois a população do Bombarral agradece e merece.

Também a EDP, não assegura, como deve ser, o fornecimento da energia eléctrica ao Bombarral, basta a ameaça de uma ligeira trovoada para se verificarem os cortes de energia.

O grupo do PS não omite o desejo de ver a construção do novo aeroporto internacional de Lisboa na OTA, o qual irá, seguramente, impulsionar o desenvolvimento do nosso concelho e da região Oeste, neste sentido,    espera-se que o executivo se empenhe em colaborar e transmitir à Associação dos Municípios do Oeste a necessidade da construção do referido aeroporto.

A degradação do parque habitacional do concelho é sobejamente conhecida da população do Bombarral e de quem visita o Bombarral, basta olhar para os edifícios à entrada do Bombarral, e como se costuma dizer, a primeira imagem deixa marcas, por sinal negativas: será que a Câmara é alheia a esta situação? Qual a dinâmica do executivo na recuperação da estrutura edificada?

O Apoio às Colectividades está ser praticado casuisticamente, na linha do regulamento aprovado pelo PSD e CDU, com os votos contra do PS. A proposta do PS por ser clarificadora e objectiva foi rejeitada.

Para a requalificação da Praça da República foram necessários 6 anos.

Além desta retrospectiva nada animadora, também para o futuro do concelho não se vislumbram perspectivas reconfortantes, pois não existem projectos estruturantes para o concelho passíveis de financiamento no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional.

Continuam a verifica-se atrasos no planeamento urbanístico, designadamente na revisão do Plano Directivo Municipal, no Plano de Urbanização da vila, nos Planos de Pormenor das mais significativas aldeias do concelho.

A Carta Educativa após cerca de dois anos de trabalhos infrutíferos, foi o PS, que mais uma vez, de forma preponderante contribuiu para a sua aprovação, há que ter presente que a relação institucional entre o Sr. Presidente da Câmara e o vereador ao qual estava distribuído o pelouro da educação se degradou significativamente.

É ainda de referir que o Bombarral tem taxas de Imposto Municipal sobre Imóveis muito elevados, não tendo, tanto quanto se sabe, o Sr. Presidente manifestado empenho em resolver este problema, talvez para obter mais receitas fiscais para equilíbrio financeiro, visto que não consegue diminuir o peso da despesa corrente.

Também no sector do turismo do concelho que o Sr. Presidente considera o motor do desenvolvimento não se verifica qualquer fomento. 

Em consequência dos jovens se deslocarem para fora do concelho, a população do Bombarral está acentuadamente envelhecida.

Já agora, não falamos no despesismo da construção do Estádio Municipal, da falta de planeamento nas obras, e muito mais se poderá dizer, contudo para terminar deixemos aqui um alerta ao Sr. Presidente, ao Sr.            Vice-Presidente e ao Sr. Vereador a tempo inteiro.

A requalificação urbana não se reduz ao embelezamento das rotundas. Há mais para fazer e que deve ser feito para passarmos a criar a sustentabilidade urbana, logo melhor qualidade de vida para todos bombarralenses.

 
VIVA O BOMBARRAL
 
O GRUPO PS
 
 
 
 

Publié dans Assembleia Municipal

Commenter cet article