Esclarecimento Público

Publié le par Secção PS - Bombarral

         Os Vereadores do Partido Socialista na Câmara Municipal do Bombarral, tomaram conhecimento que o Sr. Presidente da Câmara, em resposta às declarações proferidas por aqueles na Conferência de Imprensa que teve lugar no passado dia 24/09/2007, veio acusar os referidos Vereadores de estarem a mentir aos jornalistas e à população. Isto porque, na mencionada Conferência de Imprensa, afirmaram os Vereadores do PS que parte das receitas extraordinárias com a venda dos terrenos do Pólo II, poderiam ser afectas à realização de actividades de Apoio ao Comércio Tradicional Local, tendo o Sr. Presidente da Câmara comentado a alguns Órgãos da Comunicação Social, que os Vereadores do Partido Socialista usaram de demagogia e mentira, porque os valores da venda dos terrenos do Pólo II (onde se vai instalar uma média superfície comercial, constituída por três lojas) já estavam previstos no Orçamento do Município para 2007, pelo que, segundo ele, não faz sentido falar em receitas extraordinárias.

         Ora quem mente descaradamente é o Sr. Presidente da Câmara, Luís Alberto Camilo Duarte. Por isso e para que não fique qualquer sombra de dúvida sobre a reputação, idoneidade e verticalidade moral dos Vereadores do PS, vamos a factos:

         Foi inscrita no Orçamento do Município do Bombarral para 2007, a receita de capital resultante da venda dos terrenos da Zona Industrial - Pólo II, no valor de 1.344.060,00, em resultado da área total dos lotes corresponder a 23.890m2, tendo os mesmos sido avaliados em 56,26 por metro2;

         Mediante venda em hasta pública realizada no passado dia 02/08/2007, foi vendida uma área correspondente a 13.893m2 da sempre referida Zona Industrial – Pólo II, pelo valor de 2.200.000,00, que correspondeu assim a um valor de 158,35 por metro2;

         Quer isto dizer, que na venda destes 13.893m2, relativamente ao valor que se encontrava orçamentado, por cada metro2 agora vendido foi possível obter mais 102,09 do que o previsto ( 158,35 - 56,26 = 102,09 por metro2). Assim, na venda dos sempre referidos 13.893m2 o Município obteve uma receita não prevista em orçamento, por isso extraordinária, de 1.418.336,37 (13.893m2 x 102,09 = 1.418.336,37);

         Devido a esta receita extraordinária o próprio Sr. Presidente da Câmara no passado dia 24/09/2007, apresentou em sessão ordinária da Câmara Municipal, uma proposta de Revisão Orçamental, no sentido de entre outros aspectos, ser aumentada a receita de capital do Município para o ano de 2007, com o reforço de 1.418.336,37 referente à Venda de Bens de Investimento – Venda de Terrenos, conforme cópia que juntamos de parte da referida proposta de Revisão Orçamental e que foi aprovada com os votos a favor da coligação PSD-CDU.

         Perante estes factos e a documentação que apresentamos, pergunta-se: - Quem é que afinal mente descaradamente e utiliza da mais barata demagogia para confundir os Munícipes?

         Apesar de já estarmos habituados às “diatribes” do Sr. Presidente da Câmara, Luís Alberto Camilo Duarte, achamos que desta vez foi longe demais, ao tentar enganar a população.

         Em política, ao contrário do que parece ser o lema do Sr. Presidente da Câmara, não vale tudo e o Partido Socialista tem sabido exercer o seu papel de Oposição com sentido de responsabilidade, sem misturar questões pessoais com questões políticas e sem ofender aqueles a quem a população do Concelho do Bombarral confiou o seu voto.

         Já o Sr. Presidente da Câmara e por via dele o PSD, que assiste a estas ofensas sem nada fazer, parece não ter a mesma postura, ao ofender os Vereadores do PS chamando-os de mentirosos, quando sabe que quem mente é ele próprio, conforme aqui fica demonstrado.

         À População do Concelho do Bombarral caberá discernir os factos e retirar as devidas conclusões. Da nossa parte confiaremos, como sempre confiámos na verdade e no bom-senso dos Bombarralenses.

 
Os Vereadores do Partido Socialista
 
 
Jorge Gabriel Martins       António Fialho Marcelino       Bruno Santos

Publié dans Câmara Municipal

Commenter cet article