O PS questiona o caso do Teatro Eduardo Brazão

Publié le par Secção PS - Bombarral

O socialista do Bombarral Fialho Marcelino solicitou na última reunião de Câmara do Bombarral elementos sobre a empreitada do Teatro Eduardo Brazão. “Data de lançamento do concurso público, data da adjudicação, valor da adjudicação, data da recepção provisória, ou caso não tenha acontecido, do último auto de medição, valor final da obra, valor da caução e data, situação actual da caução”, foram os dados requeridos.
A vereadora eleita pela CDU naquele concelho, na sequência da intervenção do socialista, informou o executivo que “estiveram cá dois arquitectos que vieram visitar o teatro para avaliarem os estragos que estão bem patentes e verem as razões da gravidade dos mesmos”.
A vereadora comunista referiu que lhes foi facultado o relatório do LNEC sobre aquele problema e o projecto de intervenção feito pelo arquitecto Luís de Freitas.
Segundo Teresa Faustino, os técnicos consideram que o projecto “não responde às necessidades de intervenção daquele problema mas recomendam que a Câmara Municipal envie o mesmo para o LNEC para se pronunciar”.
Dos contactos efectuados pela autarca e tendo em conta a situação que o Teatro está, questionou se haveria alguma hipótese do Teatro ser utilizado, “porque o Agrupamento de Escolas e a Escola Secundária têm iniciativas que gostariam de pôr em prática no Teatro Eduardo Brazão”, disse.
O presidente da Câmara do Bombarral, Luís Camilo Duarte, lembrou que na revisão orçamental já foi colocada uma verba que “não deve chegar para a intervenção necessária no Teatro Eduardo Brazão”, acrescentando que se vai analisar a situação e as propostas feitas pelos técnicos que visitaram o espaço.

in Jornal Regional

Publié dans Câmara Municipal

Commenter cet article