Parque eólico no Bombarral

Publié le par Secção PS - Bombarral

O Parque Eólico instalado nas freguesias do Reguengo Grande (concelho da Lourinhã) e do Pó (Bombarral), com respectivamente 4 e 3 aerogeradores em cada uma delas, começou já a funcionar e vai produzir energia capaz de abastecer metade do concelho da Lourinhã.

O projecto é da Enernova- Novas Energias S.A., que o adquiriu à Tecneira- Tecnologias Energéticas SA, e representa um investimento estimado em cerca de 13,5 milhões de euros para esta empresa pertencente ao grupo EDP.

Detentora de 250 Megawatts (MW) de potência em Portugal, a Enernova pretende com este projecto atingir uma facturação de 1,5 milhões de euros, tendo em conta uma potência instalada de 9 MW, capazes de produzir uma média anual de 8 Gigawatts (GW) por hora.

Trata-se de um parque eólico de média dimensão que pretende contribuir para que a Enernova possa chegar aos 1GW de potência em 2010. “Há muito que a EDP se empenhou na produção das energias renováveis, porque sente que deve dar o seu contributo para as metas energéticas e ambientais definidas pela União Europeia”, sustentou o administrador da empresa em entrevista à Rádio da Lourinhã.

Lobo Gonçalves revelou que “este parque vai produzir cerca de 18 GW por hora, isto é, uma produção que equivale ao consumo anual de um aglomerado populacional de cerca de 12 mil habitantes”.

Com 2,5% do lucro sobre a electricidade produzida, as Câmaras Municipais da Lourinhã e Bombarral deverão receber uma receita anual na ordem dos 50 mil euros, a que se acrescem outros ganhos provenientes do arrendamento de terrenos, onde estão instalados os moinhos de vento.

O Parque do Reguengo Grande/Pó poderá vir a ser inaugurado dentro em breve, depois de concluída a fase de experimentação dos aerogeradores, mas caso estas duas autarquias assim o desejarem.

Recorde-se que a Enernova é detentora do Parque Eólico da Serra d’el Rei (Peniche), que deverá estar concluído dentro de dois meses. Lobo Gonçalves sublinha que a Região Oeste possui uma “fatia (de MW) muito importante”, estando situada numa área geográfica mais ampla que termina em Sintra.

Além da energia eólica, a Enernova está também a equacionar outras oportunidades e os investimentos na nossa região poderão estender-se à energia produzida a partir do movimento das ondas. Neste capítulo, aquele responsável revelou que esta é “naturalmente uma região a explorar”.


In Oesteonline

Publié dans Bombarral

Commenter cet article